Carregando
  • Blog
  • Seu vira-latismo não cabe mais aqui

Seu vira-latismo não cabe mais aqui

22 ago, 2016

404

1503

rio 2016As Olimpíadas Rio 2016 acabaram, ainda ontem, com muito samba e sob os aplausos que atestaram o já incontestável sucesso. Numa festa regada com a chuva e com as lágrimas de redenção de muitos, parece que eliminamos, diante do mundo e de nós mesmos, a poeira do fracasso e da pequenez que insiste em nos apagar. Quem dera isso durasse.

Quando Lula e Dilma conseguiram articular para que o Brasil sediasse esses Jogos Olímpicos, críticas não faltaram. A ferocidade delas, nutrida pelo ódio de quem nunca quis ver o país galgando degraus tão altos, sempre fala mais alto do que qualquer sentimento de patriotismo. Isso não é novidade por aqui e, há tempos, Nelson Rodrigues já dizia: “Por ‘complexo de vira-lata’ entendo eu a inferioridade em que o brasileiro se coloca, voluntariamente, em face do resto do mundo. O brasileiro é um narciso às avessas, que cospe na própria imagem. Eis a verdade: não encontramos pretextos pessoais ou históricos para a autoestima.”

Estamos habituados a isso. Mas, não é para se acostumar! Chega!

 

Tivemos uma Presidenta afastada, um novo governante que chegou ao poder aos 45 do 2º tempo, para o início das Olimpíadas. Tivemos ameaça de ataque terrorista, delegação australiana revoltada com o alojamento e um Paes tentando limpar a barra com canguru e tudo.

Imprensa na torcida organizada do “quanto pior, melhor” a enfatizar os defeitos, também não faltou, pra variar. Polícia repressora de manifestações pacíficas. Pessoas expulsas dos jogos por portarem um qualquer “Fora, Temer” (primeiramente…). Tinha muito para dar errado, mas, ainda assim, seguimos em frente, com um sorriso no rosto, muito empenho e alegria pra dar e vender.

Fomos adiante com a cara e a coragem. A cada dia, inúmeras vitórias. Nos Jogos, nas ruas, nos bares, nos hotéis cheios de turistas. Não teve ataque terrorista e a delegação australiana ficou “de boa”. Teve magistrado concedendo liminar a fim de proibir a repressão às manifestações pacíficas e os melhores memes da internet, fruto daqueles que não se calam. Aliás, se produção de memes fosse modalidade olímpica, não tinha país que nos tirasse o título.

Nos esportes, quantos recordes. Quanto brilho, quanta superação. A seleção feminina de futebol que, apesar dos pesares, lutou bravamente, tornando-se uma das maiores lições de coragem e perseverança. Rafaela Silva, nossa menina de ouro. O baiano Isaquias Queiroz, que se tornou o primeiro atleta brasileiro a ganhar três medalhas em uma só Olimpíada. Thiago Braz, que estabeleceu novo recorde olímpico e venceu o francês Lavillenie, com direito a vaias, lágrimas e sorrisos e o ginasta Diego Hypolito, que se emocionou e contagiou a todos. 

 

"Em Pequim, caí de bunda. Em Londres, caí de cara. Aqui, caí de pé" - Diego Hypolito
“Em Pequim, caí de bunda. Em Londres, caí de cara. Aqui, caí de pé” – Diego Hypolito

 

A lista é gigante: o judoca Rafael Silva, em um momento pós lesão; a gigante Flavinha; o soteropolitano Robson Conceição; os meninos do vôlei de praia, Alisson e Bruno; a judoca Mayra Aguiar, com seu segundo bronze olímpico; o Zanetti; a Poliana Okimoto, que levou o bronze após a desclassificação da francesa, mostrando que vale a pena praticar o “fair play”; o Felipe Wu; a dupla Grael e Kunze; as meninas de prata do vôlei de praia, Ágatha e Bárbara; o bronze de Maicon, no taekwondo; o Fernando Reis, do LPO, em ascensão e com mais um recorde brasileiro quebrado; o Darlan Romani, em 5º lugar no arremesso de peso, com a melhor marca brasileira; o ouro da seleção de futebol masculino e o brilhante jogador que tornou esse sonho possível, o Weverton, lá do Acre e, eles, os meninos de ouro da seleção de vôlei masculina.

volei 2016

Tantos exemplos bons, de garra, superação, perseverança e fé. Tantos brasileiros que nos mostraram, com suas habilidades esportivas, que – mesmo com um caminho difícil – nós somos todos capazes. Tem racismo, machismo e preconceito. Falta apoio, dinheiro, patrocínio e espaço. Falta tudo, menos a vontade de chegar lá.

E a torcida? Ahhh… a torcida! A melhor do mundo, “brother”. Apoio absoluto aos atletas, torcida em coro para o juiz, Mamonas Assassinas para o boxeador e É o Tchan para o vôlei egípcio. Aplausos, gritos e vaias. É o nosso jeitinho. Somos viscerais, apaixonados e honestos com as nossas emoções. Mexeu com um brasileiro? Nós parecemos um enxame de abelha e vamos pra cima. É! Nós nos unimos, quando queremos. A nossa torcida acreditou, cumpriu seu papel e que nos sirva de lição o poder da nossa união. Quem apostou no fracasso, errou. “Errou feio, errou rude”. rsrs

fernando reis 2016Que seja assim, daqui pra frente. Saímos das Olimpíadas com a certeza de que o esporte predileto de muitos foi desclassificado na primeira oportunidade, o complexo de vira-lata não teve lugar no pódio e, nem ao menos, conseguiu fazer parte do público, em alguma arquibancada daquelas. O pessimismo da imprensa não teve terreno para se firmar e deu lugar aos discursos atrapalhados daqueles que estavam preparados para lamentar, mas não para comemorar.

Nossas Olimpíadas deram mais do que certo. Os atletas do mundo inteiro aproveitaram cada segundo nesse país tropical. O Presidente do COI não só parabenizou, como disse que faria tudo de novo. Teve Nordeste no pódio. Também teve negro, pobre, favelado, homossexual e muita mulher mostrando como é que se luta. O nome “Silva” deixou o significado pobre de lado e passou a significar ouro, muito ouro.

 

Não adianta virar a cara para não ver, o Brasil cheio de mazelas e contradições tornou-se, nesses Jogos, altivo e valente. De frente para o mundo não abaixou a cabeça, de frente para o espelho não abaixará jamais. Se narciso éramos do avesso, agora somos povo com orgulho, nome, endereço e com inúmeros pretextos para a elevação da nossa autoestima.

O Brasil da segregação tornou-se o reflexo da diversidade que, outrora nos separava, mas, hoje, nos une. Somos o que somos, diversos e senhores de nós mesmos. Que seja sempre assim, não nos custa sonhar.

Avante.

 

**Créditos das imagens: 
1. http://www.metrojornal.com.br/nacional/esporte/brasil-estreia-com-vitoria-sobre-a-china-no-futebol-feminino-300465
2. http://globoesporte.globo.com/olimpiadas/noticia/2016/08/imagens-para-guardar-encerramento-da-olimpiada-do-rio-em-fotos.html
3. http://esportefinal.lance.com.br/diego-hypolito-rio-2016/
4. http://globoesporte.globo.com/olimpiadas/noticia/2015/08/rio-2016-saiba-como-esta-corrida-olimpica-pelas-vagas-no-volei.html
5. http://globoesporte.globo.com/olimpiadas/levantamento-de-peso/noticia/2016/08/fernando-reis-ressalta-evolucao-e-projeta-medalha-em-2020-na-fita.html

 

deixe seucomentário